22 de abril de 2010

eu levo os cravos, quem me arranja uma chaimite?

acabei de saber que a cobrança de portagens nas SCUTS foi aprovada em conselho de ministros, pelo que as ditas “estradas sem custos para o utilizador”, vão passar cobrar custos aos seus utilizadores. esta medida está incluída no tão falado PEC e pretende ajudar a combater o elevado défice nacional. ora, não me incomoda o conceito de pagar portagens, incomoda-me sim, o facto de não existirem alternativas a estes percursos (as alternativas existentes já se pagam ou pura e simplesmente são autênticos caminhos de cabras). para além disso, não percebo porque tenho eu de ser obrigado a instalar um chip de matrícula (que mais não é do que uma vulgar via verde, mas com outro nome e onde alguém de determinada empresa vai forrar os bolsos com mais este negócio da china), para que me possam cobrar pelo serviço prestado. e a propósito de serviço, já que vou ter de pagar, exijo um serviço de qualidade, pois já que me castram a liberdade individual e de circulação (começam a saber quantas vezes ali passo e a que horas, etc), entendo estar na posição de exigir uma qualidade de auto-estrada nestes IC. sim, são IC’s, que vão ser cobrados como auto-estradas, logo e no caso da A29, exijo um piso que não acumule perigosos pontos de água, um separador central que vá para além de um mero bloco de betão armado, faixas de emergência com largura suficiente para uma travagem de emergência segura e claro, curvas com raios e pendentes dentro das normas. não posso concordar com o pagamento (nem com os moldes em que este será processado), se isso não me dá garantias de um serviço de qualidade!

pergunto-me ainda se desde a sua construção e até à data de hoje, o Estado não teria já amortizado o investimento feito nestas vias? afinal parece ter sido um caso de má gestão, ao atribuir a exploração das mesmas a empresas privadas por tempo indeterminado. pelo que percebo, estas pesadas rendas às empresas continuaram a ser pagas ( e foram igualmente responsáveis pelo buraco financeiro), pelo que o utilizador vai pagar, para ajudar a reduzir o défice da nossa máquina governamental…

o que me tranquiliza é saber que o nosso Governo está a fazer um grande esforço para esta contenção. quer dizer… não foi ontem que decidiram pagar viagens semanais para Paris, à filha do maestro? ela foi eleita para a bancada do PS, pelo círculo de Lisboa, mas parece que a rapariga mora em Paris (o sonho de todos nós!), pelo que o passe da Carris não é suficiente para a moça conseguir passar ali de alverca, logo tem mesmo de ir de avião! e assim se derretem pelo menos 500 € por semana, porque a dita moça tem de certeza roupa para estender e camas para fazer em paris. ora estes 500 € por semana (se não forem mais), ao longo de um ano, dão cerca de 26.000 € em bilhetes de avião! não me vou alongar mais, mas se eu tiver de pagar 1€ por cada vez que utilize a A29, tendo em conta que na maioria dos dias faço o percurso Espinho - Porto duas vezes, isto dá 2€ por dia; logo, o que vamos pagar para a filha do maestro ir a casa comprar baguettes, sempre em classe executiva, é suficiente para 35 anos de deslocações minhas na dita via… ou se preferirem, dá para pagar as portagens durante um mês a 50 utilizadores!

Ao que parece o norte continua a ser paisagem, pois se existe região massacrada com esta crise (inventada e provocada pelos que muito têm) é exactamente o norte de Portugal. por mim as bandeiras de Espanha, deviam ser penduradas até Aveiro…
resumidamente? estou tão maldisposto com esta história que só digo isto: próximo domingo, é dia 25 de Abril, eu levo os cravos, alguém me arranja uma chaimite?

1 comentário:

A efervescência da mente. disse...

ahahah... utopias à moda da democracia helénica!

mas gostei do comentário e das contas feitas à filha do maestro! é uma matemática para um estado de espírito nauseabundo e um estado de gestão dúbia e tendenciosa na formulação das tomadas de medidas de salvação reveladas após a queda da "curtina de ferro" que é a ironia que se revela a verdade, sendo o oportunismo do nosso governo, falcatrua, corrupção, má-gestão, desleixo e indiferença!

é nestas alturas que gostava de ser marxista, se ele ainda existisse, ou estivesse de pé! abraço.