25 de janeiro de 2011

7 minutes ago: "deitar fora uma coisa tão boa até é pecado! (a minha vida)"

a partir do momento em que neste blog se ouve zero 7, é sinal de que as coisas já estiveram melhor para estes lados... definitivamente, estamos cada vez mais juntos neste mesmo barco que teima em meter água e nos puxa para baixo.
se a depressão fosse uma doença mortal cavalgante, eu e metade dos que me rodeiam, estaríamos já certamente estendidos no chão, sem vida, inanimados, à espera de algo que nenhum de nós sabe muito bem o que possa ser. em resposta à pergunta que me colocaram no sábado à noite passado "qual é para ti o verdadeiro sentido da vida?" - apenas sei que o agora, (presente, passado recente e futuro próximo) não o é claramente.

continuo a repetir para mim mesmo que melhores dias virão, resta saber até quando me vou continuar a enganar a mim mesmo... merda!


ps.: não faças nada de estúpido com a tua vida (sim sabes quem és), porque tal como ouvi no café esta manhã "deitar fora uma coisa tão boa até é pecado (a vida)"...

2 comentários:

A efervescência da mente disse...

"71 - O sábio como astrónomo. - Enquanto sentires as estrelas como algo que está «por cima de ti» não possuis ainda o olhar do homem que sabe."

- Nietzsche.

Onde é que está a luz? disse...

e com esta me calas! certo é que o dia acabou com as estrelas a olhar por mim...